Matt Gemmell

My new book CHANGER is out now!

An action-thriller novel — book 1 in the KESTREL series.

★★★★★ — Amazon

Trabalhando em Casa

productivity 11 min read

This is a Brazilian Portuguese version of my article about working from home. I’m very grateful to Halex Pereira for the translation.


Eu trabalho na minha casa em tempo integral há mais de sete anos, e sou dono do meu próprio negócio há igual tempo. Muitos de nós temos pelo menos uma oportunidade eventual de trabalhar em casa, e ouso dizer que muita gente gostaria de fazer disso algo permanente.

Só que não é algo tão simples quanto colocar um laptop na sala de estar. Trabalhar em casa traz uma série de dificuldades e desafios. De muitas maneiras é uma batalha de autocontrole. Queria falar sobre alguns dos problemas que encontrei e como lido com eles.

Disciplina

O principal problema que você vai encontrar ao trabalhar em casa será… bom, você. Precisamos de limites para reforçar comportamentos produtivos. Com a maioria das pessoas a ideia de ética profissional vai parar no lixo quando ninguém está de olho no que elas fazem. Alguns indivíduos conseguem trabalhar com diligência, independentemente de alguém estar ou não fiscalizando. Isso é fantástico. Muitos de nós, porém, precisamos de ajuda.

Ficar de bobeira (com regularidade) ao trabalhar em casa é algo autodestrutivo. Ou seu chefe vai perceber e proibir que você trabalhe em casa (ou te mandar pro olho da rua), ou se você for o chefe, vai sofrer todo tipo de consequência, desde vergonha até o colapso da sua empresa. O segredo ao trabalhar em casa é trabalhar, e o segredo para trabalhar é ter limites definidos.

Aqui vai um conselho óbvio. A forma mais fácil de se encorajar para o trabalho é gostar de verdade do seu trabalho. Se você der uma boa olhada na sua casa, com todas as distrações que há nela, lanches e zonas confortáveis para cochilos, mas decidir que o que você mais quer fazer é trabalhar, provavelmente vai render. Então faça-se o favor de gostar do que faz — e eu digo isso no sentido de mudar sua linha de trabalho para algo de que você goste, não tentar se convencer de que seu trabalho horrível é na verdade ótimo.

Para grande parte das pessoas, isso não é exequível — ao menos não completamente. Há aspectos desagradáveis, tediosos ou diretamente nocivos até nas ocupações mais prazerosas. Sua motivação vai despencar nessas horas, e é por isso que você precisa de algum suporte.

Você precisa ter um horário. Ele não pode variar, salvo em circunstâncias excepcionais. Este é o meu:

  • Estar à minha mesa às 09:00.

  • Administração (emails, organização) até as 09:30.

  • Trabalhar até as 11:00.

  • Atividade física até as 13:00.

  • Almoço às 13:00, até as 13:30.

  • Trabalho até as 18:00.

(Ao menos metade do horário de atividade física inclui trabalho, por sinal, como vou explicar adiante.)

Normalmente trabalho por um par de horas à noite também, e por algumas horas nas tardes dos fins de semana. Provavelmente trabalho demais, mas eu amo o que faço.

Seu horário vai ser diferente, mas o importante é ter um — e ater-se a ele. Dormir até tarde é perigoso, pois isso tira todo o resto dos trilhos. Nessa linha, você precisa estar de pé e arrumado. Não chegue perto do sofá. Não ligue a TV. Não jogue videogame. Sim, claro que pode haver exceções, mas de forma geral este deve ser o seu roteiro. Almoço (e café da manhã) provavelmente não devem levar mais que 30 a 60 minutos.

Encaixar pausas e momentos de lazer é importante, contanto que seja programado. É comum eu dar uma caminhada à tarde, por exemplo. A diferença importante está entre uma pausa regular e quinze minutos rapidinhos com o PlayStation. Aquele é saudável, este é uma brecha arriscada se você não tiver a força de vontade para parar depois.

Eliminando distrações

Um horário pode ajudar você a começar, e a essa altura muitos de nós já podemos trabalhar bem por um tempo. O problema seguinte a encarar (depois de você) está em outras pessoas.

Estou na feliz situação de não ter que lidar com contatos urgentes ou em tempo real com outros indivíduos. Posso fazer apresentações, enviar textos, gerenciar patrocinadores e por aí vai de forma assíncrona, o que significa que eu posso marcar um horário para administração (como você viu acima). É bem provável que esse seja o maior incentivo individual pra minha concentração. Se você puder conseguir isso, agende as horas que passa com emails.

Encerre o aplicativo de email na sua máquina, desligue notificações no seu telefone, e deixe os emails esperarem até a hora específica que você reservou para eles. Se não for assim, a mudança de contexto (e a tentação) vai matar sua produtividade. No caso de você precisar estar em alerta, diga para as pessoas mandarem uma mensagem instantânea, ou até mesmo ligar pra você. Sim, chamadas telefônicas são um meio de comunicação horrível, mas pelo menos os dois lados sabem que houve contato.

A maioria das pessoas e das ocupações dependem muito de emails a conta-gotas ao longo do dia. Grande parte dessas mensagens são infrutíferas e podem esperar até o seu horário pré-determinado para emails, mas não nego que essa é uma proposta difícil de aceitar. Se conseguir colocá-la nos trilhos, vai render mais do que você imagina.

Só que email é apenas uma das distrações, evidentemente. Seja implacável ao dizer às pessoas quando elas podem ou não podem entrar em contato. Bloqueie tagarelas em serviços de mensagem instantânea, ou faça logoff. Deixe o telefone no silencioso. Isso vai cuidar de boa parte das interrupções, mas restam aquelas que você vai buscar ativamente. Minha recomendação é ter o SelfControl.

É um aplicativo gratuito (e de código aberto) para Mac que bloqueia localmente seu acesso a uma dada lista de sites, por um certo intervalo de tempo. É uma dádiva. Eu bloqueio:

  • Redes sociais. Twitter, Facebook, App.net, Google. Sites que servem para ficar de olho em indicadores de vaidade.

  • Sites que alimentam APIs de redes sociais, de forma que os apps também não funcionem.

  • Feeds, notícias e outras leituras. incluindo o domínio do meu agregador de feeds.

  • Compras. Amazon, eBay.

Eu gosto de deixar o SelfControl rodando por no mínimo duas horas de cada vez. Ainda assim o app que uso para acessar o Twitter encontra uma forma de dar as caras, inicializado pelas minhas mãos traidoras num instante de distração, mas ele não consegue se conectar e eu lembro que deveria estar concentrado naquele instante. Eu preciso muito, muito mesmo dessa rigidez extra. SelfControl me permite trabalhar de verdade quando eu estou trabalhando em casa.

Se você quiser usar minha blacklist do SelfControl, pode baixá-la aqui.

Seja um profissional

Quando estamos perto de outras pessoas, somos guiados (ou pelo menos moderados) por pressão do grupo. Expectativas e juízos costumam manter nosso comportamento alinhado com normas sociais, e isso é especialmente válido quando você está no trabalho e seu sustento depende de permanecer empregado.

É diferente em casa, pois você basicamente pode fazer o que quiser a curto prazo. Essa é uma receita para desastre. É muito importante cultivar uma atitude de profissionalismo — ou, digamos, de orgulho. Isso não significa que você precisa usar gravata; a ideia é estar num estado de espírito que favoreça dar conta do serviço.

Quando falei sobre estar arrumado de manhã, eu me referia ao mínimo necessário. Pijamas são confortáveis, certo, mas quando você está trabalhando eles corroem um pouco sua dignidade. Vista o que você achar confortável, mas que sejam roupas para o dia. Levante-se, tome um banho, vista-se, tome café da manhã e encare o dia como se estivesse num ambiente de trabalho — pois você estará.

O tópico a seguir é sobre diligência. Se você trabalha em casa, seu lar é seu escritório. Isso significa que é hora de deixar para trás algumas posturas desleixadas em relação a:

  • Backups. Você precisa de uma solução de backup segura. É recomendável ter backups periódicos automáticos em casa, e ainda backups remotos. “O cachorro comeu meu dever de casa” não é mais uma desculpa aceitável. Backups são baratos e eles ficam mais baratos ainda quando o pior acontece.

  • Segurança. Feche sua rede Wi-Fi (eu sei que você já faz isso; só dê mais uma olhada por mim). Organize suas senhas e não as reutilize. Ponha uma tranca na porta do seu escritório e não deixe crianças entrarem. Troque as pilhas dos sensores de fumaça. Não deixe a porta dos fundos destrancada. Deu pra ter uma ideia do que estou falando.

  • Ergonomia. Não existe isso de gastar demais com uma cadeira e uma mesa que evitem lesões por esforço repetitivo (LER). Você está trocando algumas centenas ou alguns milhares de reais por dores pelo resto da vida, rendimentos perdidos agora, e talvez até despesas médicas direto do seu bolso. Arrume um ambiente de trabalho confortável agora mesmo. Até um dia por semana trabalhando em casa já justifica esse esforço.

Numa nota relacionada, controle seus domínios sempre que possível. Você provavelmente não teria visitas chegando para tomar chá e conversar numa empresa, então não deixe isso acontecer (casualmente) em casa. se você vai ter sucesso ou não está nas suas mãos.

Separar trabalho e vida

Até agora, tudo soou bem rígido — e não é pra menos. Eu falei de como garantir que você vai passar tempo o suficiente concentrado e trabalhando. Conheço muitas pessoas que trabalham em casa e, até onde sei, todo mundo que trabalha em tempo integral tende a passar tempo demais trabalhando, em vez de tempo de menos. Isso também não é legal.

É importante ter limites entre seu trabalho e sua vida doméstica, psicológica e fisicamente. Para qualquer coisa salvo os períodos mais casuais, ocasionalmente, você precisa de um ambiente exclusivo para o trabalho.

Não sente no sofá com seu laptop. Se possível, não tenha um mero cantinho para o computador na sala de estar — isso não vai dar certo. Você vai acabar se distraindo com o ambiente e outros membros da família, e será frustrante para todo mundo, além de contraproducente para você.

O ideal é separar um cômodo (ou depósito, ou closet, ou piso numa escadaria, ou parte da garagem, ou barracão no quintal), e só trabalhar lá. A decoração fica a seu critério, deixe claro que esse ambiente não é parte da casa: é onde você trabalha. Quando você entrar, esteja em modo-trabalho. Mais uma vez, um investimento como esse paga dividendos enormes.

Há três anos eu tenho um escritório em casa, e eu não abriria mão dele. Ele não tem nenhuma função além de ser meu escritório — não tem cama embutida, mesa para refeições, armário de toalhas, máquina de lavar, nada disso. É um local de trabalho. E aqui está ele:

Desk

(A Stratocoaster, eu considero uma ferramenta mental.)

Se você puder dedicar um espaço como este para seu trabalho, vai ser uma pessoa muito mais feliz e produtiva.

Mantendo a sanidade

Trabalhar em casa pode ser uma experiência solitária. Você precisa de algum contato humano, ou vai acabar meio tantã. Quase 50% do tempo em que não estou dormindo, eu passo sozinho, trabalhando. Algumas pessoas podem argumentar que eu já fiquei meio lelé, mas isso já é outra conversa.

Tenho dois conselhos a dar:

  • Cuide para que haja ruído. Deixo algumas janelas voltadas para o parque abertas, de forma que eu ouça o burburinho da vida lá fora. Crianças, cães, pessoas passando. Também deixo música tocando quase o tempo inteiro. Até mesmo um rádio baixinho em plano de fundo já pode diminuir a sensação de isolamento.

  • Se puder, tenha um ambiente social o qual possa acessar periodicamente. Não recomendo redes sociais para esse fim, pois a distração é ilimitada: sempre tem algo novo rolando. Em vez disso, tenho uma sala de bate-papo com alguns dos meus amigos mais próximos da universidade. Todos nós, salvo um, trabalhamos em casa em tempo integral, e o que resta faz o mesmo quatro dias por semana. Estas são pessoas que eu conheço e em quem eu confio, e a sala fica quieta a maior parte do dia — mas quando precisamos falar, comentar algo, ou mesmo compartilhar um link, podemos.

Também menciono mais uma vez minhas caminhadas vespertinas. Elas podem ser bem terapêuticas, independentemente do clima.

Desfrute da flexibilidade

Sim, meu último conselho serve para contrabalançar o que veio antes. Ter sucesso e ser produtivo é ótimo, mas chega um ponto em que você não tira nenhum proveito do fato de estar em casa — quando certamente deveria.

Nos primeiros cinco ou seis anos trabalhando por conta própria, em casa, eu raramente caminhava. Há um rio a alguns minutos daqui, e eu nunca separei nenhum tempo para aproveitar essa proximidade. Sempre que novas amizades descobriam que eu trabalho por conta própria e tenho um escritório em casa, as primeiras e mais óbvias piadas eram que eu passava o dia jogando videogame. Em seguida, as perguntas sobre como eu conseguia me forçar a trabalhar. Por fim, minha esposa entrava na conversa para destacar que é mais difícil me fazer parar de trabalhar — e esse é um comentário justo.

De alguma forma você conseguiu a fantástica conveniência de trabalhar em casa: um sonho realizado! Tudo bem desfrutar um pouco disso. Os momentos de lazer e as caminhadas que mencionei são só o começo. Não há problema em agendar meio expediente de folga para o dia do lançamento de um jogo novo, ou tirar vantagem dos ingressos de cinema mais baratos no meio do dia. Se não for aproveitar assim, qual o sentido disso tudo?

Há ainda algumas outras recomendações que quero passar, a respeito da flexibilidade que você normalmente não encontraria num escritório normal.

  • Considere a aquisição de um quadro branco para uma das paredes do seu escritório. Não sei de nenhuma atividade profissional que não possa ser melhorada pela habilidade de rascunhar ideias na parede. Consiga um daqueles magnéticos, para você poder afixar coisas nele. Eu tenho um grande na parede traseira do meu escritório, o mais longe possível da minha mesa, com uma pancada de pincéis, fichas para anotações e ímãs coloridos. Desenvolvi APIs de software e componentes para a Apple nele, rascunhei também artigos para revistas, e atualmente ele tem a estrutura do enredo do meu romance.

  • Tenha uma zona de escape. Você nem sempre vai ter uma sala de reuniões no trabalho, mas você deve ter uma mesa de jantar (ou de centro) em casa. Não fique lá, mas faça uso do espaço quando precisar pensar de maneira mais abstrata, ampla e irrestrita. Eu uso a mesa de jantar na sala para isso.

  • Faça exercícios. Deve haver uma academia perto de você (talvez até no escritório), mas trabalhar em casa é uma oportunidade para não deixar as atividades físicas interferirem muito no seu orçamento ou no seu tempo. Como já mencionei, tenho uma bicicleta ergométrica no escritório que posso usar enquanto trabalho no meu MacBook Air — estou fazendo isso agora mesmo, por sinal. Também tenho alguns pesos, uma barra horizontal e um tapete para flexões e abdominais. Saí de não fazer nenhuma atividade de cárdio ou força para fazer 13 a 14 horas por semana. Durmo melhor e estou bem certo de que minha cabeça está mais afiada também.

É você quem faz

Trabalhar em casa em tempo integral não é pra todo mundo, mas eu acho que pode funcionar para muito mais gente que você imagina à primeira vista. A chave para isso é adicionar um grau de autocontrole que fica implícito num ambiente de trabalho tradicional, bem como tirar vantagem do fato de que você pode ajustar o ambiente para suas preferências e seus fortes específicos.

Faço isso há sete anos e cinco meses, e não consigo me imaginar de volta em uma repartição. Cometi erros e aprendi algumas lições dolorosas, mas encontrei um ritmo particular que se adequa a mim e me permite equilibrar produtividade e felicidade. E eu ainda me pego adorando o fato de a viagem pro trabalho durar 30 segundos.

Estou certo de que trabalhar em casa é algo que você pode fazer funcionar. Seja realista, planeje sua semana e faça mudanças se algo não der muito certo. Você é quem melhor se conhece.

Só não esqueça de curtir.


If you’d like to discuss this further, you can find me on Twitter. You might also be interested in my follow-up article about running an effective consulting business.

You can also read this article in English, or in German.

My writing is supported by readers like you.